O que precisa de saber

O teste deu reativo e agora?

Quando o resultado do teste é reativo, a pessoa deve ser referenciada para um centro hospitalar de proximidade onde decorrerá o acompanhamento clínico da especialidade. Esta referenciação é feita, quer pelo centro de rastreio onde se tenha efetuado o teste rápido, quer pelo médico de família.

Acompanhamento hospitalar

Ao iniciar o acompanhamento clínico de especialidade, o médico prescreve análises de forma a perceber qual é a situação clínica e poder decidir sobre como iniciar o tratamento. No início, as análises e consultas de infeciologia serão mais regulares para se poder fazer um acompanhamento de proximidade e compreender se o tratamento está a ser eficaz. Estando o tratamento a ser bem-sucedido, as análises e consultas passarão a ser realizadas de 6 em 6 meses ou, em alguns casos, anualmente.

Dia-a-dia

Atualmente, e cumprindo com o tratamento, uma pessoa que viva com o VIH pode trabalhar, frequentar formação, cuidar da sua família, sair com os amigos, entre outras atividades que marcam o quotidiano de qualquer outra pessoa. Devido ao progresso da medicação, hoje em dia, uma pessoa que esteja infetada pelo VIH tem uma esperança média de vida equivalente a qualquer outra não infetada.

É importante compreender que os avanços na medicina tornaram uma doença que, no início dos anos 90, era fatal, numa doença crónica que não limita a vida das pessoas que por ela são afetadas.

Direitos

A Constituição da República Portuguesa consagra que «Todos têm direito à proteção da saúde e o dever de a defender e promover».

Assim, as pessoas infetadas pelo VIH/SIDA (independentemente da nacionalidade, género, idade, etnia, religião) têm direito a aceder ao tratamento, à terapêutica antirretroviral