Perguntas Frequentes (FAQs)

O que são o VIH e a SIDA?

O VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) é uma infeção crónica que contribui para a destruição progressiva do sistema imunológico do ser humano (defesas) potenciando o aparecimento de outras infeções oportunistas ou doenças.

Na fase mais avançada da infeção o sistema imunológico torna-se incapaz de regenerar, enfraquecendo cada vez mais e chegando ao estadio de SIDA. Ser portador de VIH não implica necessariamente vir a alcançar o estádio de SIDA e alcançando-o, com tratamento adequado é possível reverter a situação e estabilizar a infeção.

Que sintomas estão associados ao VIH?

Os sintomas manifestados pela infeção do VIH não são homogéneas em todas as pessoas.

A pessoa recém infetada pode ou não apresentar sintomas. No caso de os apresentar, podem caracterizar-se por:

  • Cansaço;
  • Perda de peso;
  • Falta de apetite;
  • Diarreia;
  • Entre outros.

No período seguinte da infeção (fase assintomática) a pessoa pode passar longos anos sem manifestar qualquer sintoma. Após este período podem surgir novamente os sintomas já referidos ou alguns mais graves.

Como se transmite o VIH?

Existem três meios de transmissão do VIH:

  • Sexual – pela prática de sexo anal, vaginal ou oral desprotegido;
  • Sanguíneo – pela partilha de objetos cortantes e/ou perfurantes (lâminas, seringas, entre outros);
  • Vertical – de mãe para filho na gravidez (quando esta não é devidamente acompanhada), durante o parto ou na amamentação.
Onde é possível fazer os testes de diagnóstico do VIH?

De forma gratuita, anónima e confidencial é possível realizar testes rápidos nos Centros de Aconselhamento e Deteção do VIH (CAD) espalhados pelo país e ainda em algumas associações que os disponibilizam, como é o caso da Associação Abraço. Pode ainda ser solicitado ao médico assistente (médico de família) a prescrição de análise clínica.

Quando é aconselhável fazer o teste?

No caso de se realizar um teste rápido recomenda-se um período de janela de cerca de 3 meses, isto é: entre o momento em que ocorre o comportamento de risco e o momento de realização do teste tenha decorrido este período de tempo. Deve sempre realizar um teste confirmatório no caso de o resultado do teste rápido ser reativo.
Existem outros testes, desenvolvidos em contexto laboratorial, como os testes de 4ª geração, onde é possível detetar a infeção a partir do 12º e até ao 28º dia após a exposição ao vírus.

O que se deve fazer quando o resultado do teste de diagnóstico do VIH é positivo?

 

Como pode uma pessoa em situação irregular no país aceder ao tratamento?

A pessoa que se encontra em situação irregular e que tem diagnóstico positivo para o VIH deve dirigir-se ao Centro de Saúde da área de residência para atendimento com um médico. O médico que realiza o atendimento fica responsável por fazer a referenciação para o Hospital.
Para que esta situação seja viável, a pessoa infetada deve ter um atestado de residência, emitido pela sua Junta de Freguesia a atestar que reside em determinada morada há pelo menos três meses.

Numa relação entre 2 pessoas, ambas infetadas pelo VIH, continua a ser necessário utilizar o preservativo?

A utilização do preservativo continua a ser fundamental mesmo quando ambas as pessoas estão infetadas pelo VIH, uma vez que pode ocorrer uma reinfeção. Isto é, a forma como o vírus se desenvolve no organismo de cada indivíduo é diferente e o contacto com o vírus presente noutra pessoa pode provocar alterações prejudiciais à saúde dos envolvidos.

O que é a Profilaxia Pós-Exposição (PPE)? Como se pode aceder?

É um tratamento com recurso a medicamentos antirretrovirais que deve ser iniciado até um máximo de 72 horas após exposição ao VIH de forma a evitar que o vírus se instale e se reproduza no organismo da pessoa. O tratamento é realizado durante um mês e os medicamentos administrados são iguais aos prescritos à pessoa com VIH. Este tratamento está disponível no Sistema Nacional de Saúde português.

O que é a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)?

É um procedimento preventivo à infeção pelo VIH através da utilização de medicamentos antirretrovirais (Truvada). É normalmente indicado para pessoas resistentes à utilização do preservativo, a HSH (homens que têm sexo com homens), consumidores de drogas intravenosas e seus/suas parceiros(as), trabalhadores do sexo ou casais serodiscordantes.
É possível consultar a lista completa de países em http://www.prepwatch.org/

Siga a Abraço