fbpx

Já alguma vez ouviu falar dos 90-90-90?
Então vamos começar pelo princípio.
Austrália. Melbourne. AIDS Conference. 2014.

É tempo de refletir sobre a forma de acabar com a epidemia da SIDA e a propagação do VIH, sendo necessário definir determinadas metas orientadoras.

Assim sendo, definiu-se que em 2020: 90% de todas as pessoas a viver com o VIH conheceriam o seu estado serológico; 90% dessas estariam a cumprir tratamento através da toma diária dos antirretrovirais; e 90% das que cumprem tratamento atingiriam a carga viral indetetável.

 

 

Ora, se este objetivo for alcançado, os especialistas consideram que, em 2030, a epidemia da SIDA pode estar completamente controlada.

O Relatório anual da UNAIDS, publicado em 2017, mostra que globalmente, em 2016, mais de dois terços da população conhecia o seu estado serológico. Dessas pessoas, 77% estavam em tratamento através da toma de antirretrovirais e dessas, 82% tinham a carga viral indetetável.

 

De acordo com o mesmo relatório, apenas a Dinamarca e a Suécia já atingiram todas as metas.

Em Portugal, os dados mais recentes apresentados no dia 5 de julho numa sessão intitulada “VIH: Passado, Presente e Futuro” referem que 91,7% das pessoas conhecem o seu estado serológico, 86,8% destas encontram-se a cumprir terapêutica e 90,3% destas têm carga viral indetetável.

 

A iniciativa “Fast-Track Cities”, iniciada em Paris, também pretende contribuir para alcançar estas metas, sendo que as cidades que adiram à iniciativa se comprometem a atingi-las mais rapidamente. No caso nacional, Lisboa, Cascais e Porto foram as “cidades fundadoras” da iniciativa, no entanto, a estas já se juntaram  Almada, Amadora, Loures, Odivelas, Oeiras, Sintra e Portimão.

Caminhar positivamente para atingir estas metas é ambicioso e o contributo começa com cada um de nós a informar-se sobre o seu estado de saúde em relação à infeção do VIH.

E você, já fez o teste?

 

Autor: Joana Basto | Assistente Social
Email: joana.basto@abraco.pt